CICLO AMBIENTAL
 
Pelo fato dos compostos do petróleo possuírem diferentes temperaturas de ebulição, é possível separá-los através de um processo conhecido como destilação ou craqueamento.
 
A fração nafta resultante do craqueamento é fornecida para as centrais petroquímicas, onde passa por uma série de processos, dando origem aos principais monômeros  (componentes básicos das moléculas de plástico) como, por exemplo, o eteno.
Só um 4% do total de petróleo produzido no mundo é destinado à produção de plásticos
A resina PET foi desenvolvida pelos químicos ingleses Whinfield e Dickson, em 1941, para ser usada na fabricação de fibras sintéticas. Somente na década de 70 ela foi empregada como matéria-prima de garrafas, hoje a sua principal utilização.
 
Atualmente, 1,5 litro de embalagem PET pode ser feita com apenas 35 gramas de material virgem. Quando o mercado de fibras descobriu a verdadeira fonte de matéria-prima contida no PET, a resina reciclada passou a ser empregada na indústria têxtil.
Plástico PET
Molécula de PET
A matéria-prima dos plásticos é o petróleo, formado por uma complexa mistura de compostos. O petróleo é o resultado de um processo de maturação de matéria orgânica, ao longo de milhões de anos. Depois de inúmeros eventos geológicos, o petróleo se acumula em bolsas situadas em camadas porosas no subsolo.
No Brasil, as grandes reservas de petróleo se encontram  no litoral do sudeste (bacias de Campos e Santos), sob lâminas de água variando de 400 a 2000 metros e sob sedimentos de mais de 2000 metros de espessura. Um poço de reconhecimento de tais acumulações pode ter um custo de mais de 50 milhões de reais!!!
 
 
Petróleo
Plataforma de petróleo em mar aberto: A origem do plástico a mais de 3000 metros de profundidade